Cuidar da Profissão -

Cuidar da Profissão
 

Sem Democracia e Igualdade,

Nenhuma PAZ é possível!


proposta
00/00/0000 - 00h00 - Atualizado em 10/08/2013 - 13h45
Chapa Cuidar da Profissão - Brasil(SP)
TAMANHO DA FONTE A- A+
  Curtir  
Infância

   Para CUIDAR da Infância 

 

 

Um levantamento realizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância, para avaliar as condições de vida da população infantil mundial, mostra que a situação das crianças brasileiras é bastante delicada: são 6 milhões sobrevivendo em "severa degradação das condições humanas básicas, incluindo alimentação, água limpa, condições sanitárias, saúde, habitação, educação e informação", ou seja, em situação de “absoluta pobreza”. Esse número representa 10% da população infantil do país, que já soma 60 milhões de crianças. Mais de 1,3 milhão sofre com problemas alimentares como desnutrição e fome. A pesquisa também divulgou que 15% das crianças brasileiras vivem sem condições sanitárias básicas e que a região rural concentra o maior número de crianças carentes (27,5%), quando comparada à região urbana (4,3%). O Brasil tem aproximadamente 20 milhões de crianças com idade entre zero e seis anos, correspondendo a 10,6% da população total.  

Reconhecemos que os níveis de desigualdade de renda e de pobreza vêm sofrendo queda expressiva nos últimos anos: cerca de 17,2 milhões de pessoas saíram da condição de extrema pobreza por conta dos benefícios previdenciários e assistenciais, representando uma redução de 44,1% no número estimado de indigentes no país, o que beneficia diretamente as crianças, que passam a ter melhor qualidade de vida e condições mais adequadas de desenvolvimento. Entretanto, embora avanços possam ser identificados, a garantia do desenvolvimento saudável de crianças requer uma atenção especial de toda a sociedade.

Pesquisas científicas e avaliações econômicas realizadas nos últimos anos apontam que o investimento em políticas públicas para o desenvolvimento integral da primeira infância é de fundamental importância. A primeira infância é uma fase de maior vulnerabilidade, que demanda proteção especial e um ambiente seguro, acolhedor e estimulante. Entender a criança como pessoa em desenvolvimento implica conferir plenitude ao momento da infância por ela ter sentido em si mesma e, adicionalmente, reconhecer o dinamismo do processo de formação cujo resultado é o futuro.

Portanto, alguns desafios são colocados aos psicólogos brasileiros para que garantam que todas as crianças tenham sua saúde mental preservada e consigam atingir seu pleno desenvolvimento. 

Desafios estes que se colocam como pautas prioritárias de atuação do CFP na nova gestão:

* Fomentar ações que visem ao cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente e a proteção e promoção dos amplos direitos desta população; 

* Contribuir para a elaboração, o aprimoramento e a integração das políticas públicas para a primeira infância, monitorando-as, avaliando-as e sugerindo avanços;

* Fomentar a melhoria dos atendimentos em saúde mental, apoiando a ampliação dos atendimentos nos CAPSi, a qualificação das(os) profissionais e a articulação da Rede de Atenção Psicossocial (RAPs); 

* Estimular estratégias de apoio e acolhimento às crianças em suas diferentes vulnerabilidades;

* Apoiar as campanhas de despatologização da infância, distinguindo estratégias de controle e de cuidado e incentivando intervenções subjetivantes, que valorizem a infância como tempo de desenvolvimento, experimentação e aprendizagem.

 

 

  SEM DEMOCRACIA E IGUALDADE, NENHUMA PAZ É POSSÍVEL!



Curtir





    Assunto(s) Relacionado(s)

08/08/2013 - Questões Étnico-Raciais
31/07/2013 - População Idosa
23/07/2013 - Vulnerabilidades de Crianças e Adolescentes
23/07/2013 - População Amazônica
18/07/2013 - Adolescência
00/00/0000 - Infância
 

Criação - Desenvolvimento - Hospedagem - Atitude1.com.br