Cuidar da Profissão -

Cuidar da Profissão
 

Sem Democracia e Igualdade,

Nenhuma PAZ é possível!


proposta
23/07/2013 - 19h23 - Atualizado em 23/07/2013 - 19h23
Chapa Cuidar da Profissão - Brasil(SP)
TAMANHO DA FONTE A- A+
  Curtir  
A Ética Profissional no Contexto da Justiça

A Ética Profissional no Contexto da Justiça

A ética está relacionada aos valores que cada pessoa adquire por meio das influências que teve em sua vida, quer seja na família à qual pertence, à classe sócio-econômica a que está associada, quer à raça, à religião ou ao país em que nasceu. Essas chamadas condições fazem com que cada pessoa tenha valores e posicionamentos diferentes.

O mesmo pode-se estender às profissões. Toda profissão define-se a partir de um corpo de práticas que busca atender demandas sociais, norteado por elevados padrões técnicos e pela existência de normas éticas que garantam a adequada relação de cada profissional com seus pares e com a sociedade como um todo. Ainda que se possa considerar a conduta ética num sentido mais amplo, há especificidades nessa conduta nas profissões.

Então, por exemplo, do ponto de vista legal do Direito, pode-se considerar que as(os) Assistentes Técnicas(os) não estão sujeitas(os) a impedimento ou suspeição. No entanto, do ponto de vista da Psicologia, a(o) psicóloga(o) não deve ter vínculo com a pessoa atendida, na medida em que acaba por interferir nos objetivos do trabalho, não podendo, por exemplo, atender parentes. Com esta preocupação, bem como com a proposta de criar referenciais para uma atuação profissional de qualidade, o Sistema Conselhos buscou dialogar com diferentes pessoas sobre o lugar oupado pela(o) psicóloga(o) no contexto da Justiça e traduzir as conclusões em normas e condutas do agir psicológico. As normas fundamentam e ajudam a operacionalizar a prática. 

A gestão do CUIDAR no CFP foi importante ao coordenar a produção, no Sistema Conselhos, da Resolução CFP nº 08/10, a primeira Resolução direcionada especificamente à atuação da(o) psicóloga(o) como Perita(o) e Assistente Técnica(o) no Poder Judiciário.

Muita coisa há ainda a ser feita, mas com certeza demos, neste momento desta pratica profissional, um importante passo no sentido da uniformização e da qualificação dos procedimentos esperados na prática profissional da Psicologia nessa área, assim como da garantia, considerando os padrões éticos de nossa profissão, da interlocução com outros campos de conhecimento para que estes padrões sejam preservados.

Esperamos ampliar as contribuições das(os) psicólogas(os) no bem-estar coletivo, preservar a relação deste com seus pares e com a sociedade, aumentar o nível de conscientização sobre o impacto do seu trabalho, auxiliando-o na tomada de decisões fundamentadas.

Não pretendemos criar obrigações descontextualizadas, mas trazer reflexões e parâmetros para a prática profissional, o que acaba inclusive por proteger nossa atuação.



Curtir





    Assunto(s) Relacionado(s)

10/08/2013 - Psicologia na Educação
03/08/2013 - Região Centro-Oeste
31/07/2013 - Esporte
28/07/2013 - Redes de Atenção Psicossocial - RAPS
28/07/2013 - Região Norte
27/07/2013 - Região Nordeste
24/07/2013 - Psicologia Organizacional e do Trabalho
23/07/2013 - Região Sudeste
23/07/2013 - Pra CUIDAR da Ampliação de Psicólogas(os) nas Políticas Públicas
23/07/2013 - A Ética Profissional no Contexto da Justiça
23/07/2013 - Região Nordeste
23/07/2013 - Região Sul
21/07/2013 - Saúde Mental
21/07/2013 - Participação da Psicologia nas Lutas Sociais
21/07/2013 - Psicologia e Assistência Social
18/07/2013 - Psicologia e Práticas Públicas
18/07/2013 - Saúde Suplementar
18/07/2013 - Participação Social
18/07/2013 - Mobilidade Humana
 

Criação - Desenvolvimento - Hospedagem - Atitude1.com.br